Preciso melhorar muitas coisas na minha empresa, mas por onde eu começo?

Texto por: Amanda Labruna

É extremamente importante economizar em algumas questões para conseguir investir no que realmente vai agregar valor e alavancar sua marca no mercado. Planejar, fazer cálculos, estudar a concorrência, valorizar bons funcionários, contratar uma força de vendas, investir no marketing e na comunicação da sua empresa, são tópicos da matéria de hoje! 

Não adianta pensar, vislumbrar e ter milhares de ideias, se o problema atual não for resolvido! Por isso, aqui vão alguns tópicos com assuntos comuns em diversas empresas.

1º) Por que não consigo manter funcionários na minha empresa?

Muitos conhecem a dificuldade para encontrar uma oportunidade de trabalho onde é possível “ganhar bem” e fazer o que gosta. Unir as duas questões é muito difícil. Analisando a outra parte, quando a empresa dá sorte, consegue contratar um bom funcionário e dedicado ao que faz. Com tanta dedicação, ele começa a se destacar, chamar a sua atenção e ganhar cada vez mais confiança. E o que você faz com isso? Guarda para si a satisfação em mantê-lo na sua empresa? Lhe passa mais tarefas, confiando que ele vai dar conta? Está errado, ninguém fica satisfeito em desenvolver inúmeras tarefas e não receber o que é justo por aquilo!

Se um funcionário lhe dá orgulho pelo trabalho que desenvolve, nada melhor do que mantê-lo por perto e satisfeito. Se você não fizer isso, ele aceitará a primeira melhor proposta que surgir. E hoje em dia, ninguém tem melindre de mudar de emprego para não “sujar a carteira de trabalho”. Motivar um funcionário não é simplesmente falar bonito, agregar mais tarefas ao seu dia a dia, incentivar e dizer que ele é capaz de realizar tudo. A verdadeira motivação acontece quando você mostra que confia no seu trabalho, mas principalmente paga por isso. Aumentar parte do seu salário e promover seu cargo, são situações positivas que certamente fazem com que ele se sinta bem, tenha incentivo para trabalhar e se dedicar ao que é proposto. Caso ele receba uma proposta de outra empresa, mas confia que pode crescer profissionalmente em sua empresa, certamente não sairá aceitando a primeira proposta que lhe aparecer. A menos que a diferença de salário seja realmente grande. Acredite, é imensamente melhor aumentar parte do salário de um bom funcionário, do que trocar até encontrar alguém que aceite sua proposta. Além de prejudicar a imagem e o andamento de sua empresa, você terá uma “dor de cabeça” constante.


2º) Meus clientes estão mudando para a concorrência, onde estou errando?

Assim como é importante manter um bom funcionário por perto, você também precisa se preocupar em manter um cliente em sua carteira. Não basta vender, o maior desafio é mantê-lo. Como está seu atendimento? Como está a estrutura da sua empresa? Você o atende prontamente em suas necessidades? Caso ele tenha dúvidas, elas são esclarecidas por alguém que entenda do assunto? Seu departamento comercial tem segurança naquilo que vende?

Partindo para a estrutura física, independente do ramo de atividade, vale muito a pena investir em uma boa mobília, pintura e pisos adequados, além de checar sempre as instalações para ver se não há qualquer problema. Um local bonito e limpo certamente encanta o cliente e faz com que ele confie em investir seu dinheiro na sua empresa ou no serviço que você oferece. Se você não fizer isso, seu concorrente irá fazer! E como todos sabem, a aparência aliada à qualidade do serviço, é fator determinante para o fechamento de novos negócios e também para manter um cliente por perto.

E claro, não adianta ter uma bela estrutura, se você não desiste de contratar “mão de obra barata” e sem qualidade. Tenha por perto pessoas que realmente entendam do assunto. Dê treinamento, incentive, pague um curso para aperfeiçoamento. Lembre-se que esse é um investimento para a SUA empresa. Funcionários bem treinados fazem toda a diferença!

Você entrega os projetos dentro do prazo combinado? E como está a qualidade do seu trabalho? Se tudo isso tiver em dia, certamente você manterá clientes satisfeitos e receberá indicações pelo excelente trabalho. E acredite, não haverá motivos para que o cliente mude para a concorrência, mesmo que o preço seja um pouco menor do que o seu.


3º) Minha empresa é pequena, então eu faço tudo: atendimento, administrativo, financeiro, criação… Só que meu faturamento quase não sai do lugar!

Pois é, falamos com muita propriedade sobre esse assunto. Quase todas as pequenas e médias empresas enfrentam exatamente o mesmo problema: a falta de tempo de buscar novos negócios. Está tudo ok com seu administrativo, você dá conta de atender as ligações, fazer reuniões, administrar contas a pagar e receber, contratar funcionários, cuidar da vida pessoal. Mas o departamento comercial não existe ou é pouco trabalhado! Nesse caso, a solução é investir em uma força de vendas para que sejam levantadas novas oportunidades de negócios, além de movimentar sua marca no mercado. Caso contrário, você ficará nesse círculo vicioso, apenas esperando o “pedido entrar”. Enquanto isso, seus concorrentes estão buscando todas essas soluções no mercado. E suas marcas crescem em uma velocidade interessante.

Não adianta agregar mais essa tarefa à rotina daquele funcionário que você acredita ser excelente para fazer o comercial, além do que ele já faz. Certamente, um dos trabalhos vai começar a ficar de lado. A rotina comercial envolve diversas questões que muitos apenas acham que conseguem administrar. Passar informação ou fechar pedido é muito diferente de ser um bom vendedor.

Uma força de vendas dedicada, começa o trabalho pela pesquisa de mercado, analisando a concorrência, os clientes em potencial e mapeando tudo o que envolve o mercado daquele determinado produto ou serviço. Separar clientes em potencial, fazer contato, retornar 4, 5 vezes para localizar o decisor, são apenas alguns itens que compõem o processo de prospecção e vendas. O poder de negociação e argumentação são fundamentais nessa fase. Fazer acompanhamento, inserir lembrete com data e horário para retorno, enviar proposta, portfólio, confirmar recebimento, marcar reunião, reagendar, lidar com secretária com má vontade de repassar recado, conciliar agendas, negociar, persuadir, fechar o contrato, fazer pós vendas e emitir relatório com todas essas informações detalhadas, são as verdadeiras tarefas de uma excelente e correta força de vendas.

Com toda essa explicação detalhada, você ainda acha que pode agregar essa função ao funcionário que já desenvolve outra tarefa? Valorize seu profissional de vendas. Não dá para movimentar o faturamento e a marca da sua empresa, se a área comercial é fraca ou não existe.


4º) Meu site existe, mas é fraco. Minha página no Facebook não tem movimentação e eu nem sei em qual página apareço nos sites de busca.

Esse é um outro fator muito importante e que diversas empresas enfrentam dificuldade. A comunicação da empresa é a porta de entrada para novos negócios, além de passar mais confiança para quem a procura.

Hoje em dia, quem não procura uma empresa em sites de busca e Redes Sociais? E se você não começar a fazer bonito a partir daí, não há departamento comercial que faça milagre para vender seu produto ou serviço. Se o seu site existe, ele é funcional? As informações estão claras e objetivas? As cores conversam com o tipo do seu negócio? Informações como endereço e telefone para contato, são localizadas com facilidade? As fotos estão em boa qualidade? Todas essas questões fazem absoluta diferença na busca de uma boa empresa para prestar serviço ou vender produtos.

Você tem uma pessoa responsável somente pelo marketing da sua empresa? Se não tiver, deixe de fazer essa economia que não te leva a lugar nenhum. E claro, seu concorrente certamente está investindo pesado nessa questão. Peças de e-mail marketing, compra de mailing, participação em eventos do setor, reposicionamento de marca no Google ou Facebook são primordiais para que sua marca esteja em evidência, além de alimentar o departamento comercial com material e diversos argumentos de vendas. Se sua empresa não tiver na primeira ou segunda página de busca, você está perdendo negócios. Com tudo isso em dia, chega um determinado momento em que sua marca deixa de ser desconhecida. Não deixe de investir nessas questões!

Todos esses tópicos são casos reais e ouvimos com muita frequência. Como o próprio nome já diz, esses são INVESTIMENTOS primordiais para que sua empresa tenha sucesso. E tudo isso caminha junto. Não adianta investir na comunicação, se o seu funcionário não está preparado para atender ou oferecer de maneira correta. Não adianta exigir que o comercial faça milagre, se você não movimenta em nada a sua marca no mercado. Você não vai deixar um funcionário mais feliz, se ele receber mais tarefas para desenvolver e não receber mais dinheiro por isso.

E pra finalizar, depois de identificar e resolver os problemas existentes, seus investimentos terão maior resultado e você ficará satisfeito com o andamento dos seus negócios. A partir daí, tudo estará completo e funcionando perfeitamente!

Como pequenas empresas podem usar o marketing digital

As possibilidades de divulgação de uma empresa no meio digital são inúmeras: blogs, YouTube, Facebook, Twitter, anúncios em links patrocinados. Como geralmente os recursos de pequenos e médios empresários são limitados, fica difícil saber por onde começar.

O passo inicial e obrigatório, a maioria das empresas já tem: um site. Já vimos febres surgindo e caindo (vide MySpace e Orkut) e é arriscado encarar um canal de terceiros como a “casa” da empresa. O site é o único lugar em que sempre teremos controle.

A etapa seguinte é, nesse site, começar a produzir conteúdo de qualidade sobre a sua área de atuação, tanto em formatos mais leves (como os posts de um blog) quanto em formatos mais ricos (eBooks, Webinars e etc).

Recomenda-se começar pelo conteúdo rico. Esse tipo de material é atrativo o suficiente para criar “Landing Pages” e então captar informações de contato dos visitantes: isso é chamado de gerar Leads ou oportunidades de negócio. Essa ação dará um fôlego maior em resultados e permite trabalhar com mais calma o blog, que é uma base essencial a ser utilizada na atração de clientes por diferentes frentes.

Nas ferramentas de busca, cada conteúdo é um assunto a mais para as pessoas buscarem e encontrarem sua empresa. Além disso, o conteúdo é também uma boa forma de conseguir atrair mais links, o que ajuda a empresa a ser vista como referência e a conquistar as primeiras posições no Google. Já nas mídias sociais, uma das coisas que as pessoas mais fazem por lá é compartilhar links de coisas que elas gostaram e acharam atrativas. Se sua empresa produzir conteúdo de qualidade, dará munição para as pessoas espalharem sua ideia.

Quais as principais dificuldades dos clientes? E o que mais dá resultado?
Uma dificuldade bastante comum é a falta de foco de um caminho claro pra seguir. Vemos muitas empresas se empolgando com assuntos da moda, gerando muita iniciativa e pouca “acabativa”. Marketing Digital não é uma ação, é um processo contínuo.

Já nas práticas em si, é muito comum as empresas terem bloqueio para começar a escrever e publicar um material mais denso. A impressão que elas têm é a de que isso é algo difícil e complexo, o que não é verdade. Não é preciso complicar e, na maioria das vezes, quando começam, vêem que é mais simples do que imaginam e logo a produção de conteúdo já vira hábito.

Para Andre Siqueira, da Resultados Digitais, é justamente a produção de conteúdo próprio e de qualidade sobre temas relevantes do mercado de atuação da empresa é que dá resultado. Quando o site ou blog vira referência no mercado, todo o resto já fica bem mais fácil. Manter o relacionamento com os potenciais clientes gerando valor a cada interação, ao invés de somente tentar vender, é outra coisa que nem toda empresa consegue fazer da maneira correta.

A Resultados Digitais já é bastante reconhecida no país por compartilhar conteúdo gratuito e de qualidade com seus visitantes.

De maneira mais abstrata, pode-se falar da credibilidade e da posição de autoridade que conquista-se por mostrar o quanto se entende do assunto e assim outras empresas passam a resolverem seus problemas. Em termos mais palpáveis, cada pessoa que baixa um dos materiais da RD, deixa suas informações de contato e vira uma oportunidade de negócios. Mesmo que de forma indireta, é alguém mostrando que tem um problema a resolver no tema.

A soma dessa posição de autoridade com toda a base de pessoas, formam para um grande ativo de marketing digital, que dificilmente será alcançado no curto prazo pelos concorrentes.

Mensurar corretamente os resultados é uma etapa bastante importante. Um erro comum é se basear em métricas que só servem para vaidade, como número de pageviews ou fãs no Facebook, por exemplo.

Boas métricas se encaixam em uma das duas possibilidades: ou indicam um resultado real de negócio (como o número de Leads gerados, por exemplo) ou mostram algo que sua empresa pode agir e melhorar (comparar quantas visitas e Leads foram gerados em cada fonte de tráfego, por exemplo, e entender o impacto que as ações realizadas tiveram nos números).

Sobre a frequência, recomenda-se 3 pacotes que devem ser analisados com diferentes objetivos:

A análise diária é útil para identificar grandes desvios em métricas importantes, de desempenho de novos conteúdos e também de recomendações de terceiros. O recomendado é que a avaliação diária seja sobre as métricas mais simples, como o número de visitas, Leads gerados e desempenho das fontes de tráfego e páginas mais acessadas.

Já para a análise semanal é interessante avaliar essas mesmas métricas, mas com uma visão mais aprofundada do quanto a empresa se encaminha para alcançar as metas do mês. Outra informação que pode ser analisada semanalmente são experimentos que a empresa esteja fazendo como, por exemplo, mudanças no horário ou frequência de atualizações em mídias sociais.

Na análise mensal entra todo o tipo de análise, das métricas diretas às indiretas, com o intuito de identificar o que funciona o que não funciona e assim planejar o que vai ser feito no mês seguinte.

Fonte: Saia do Lugar

Porque não vale a pena economizar dinheiro no cafezinho!

Muitos autores dizem que conseguimos fazer cortes pequenos no nosso orçamento para termos um grande volume de produção, alegando que isso se tornaria uma economia de custos monstruosa no longo prazo. Será mesmo que vale pra tudo? É muito importante economizar, mas com a coisa certa.

Apesar dessa lógica fazer muito sentido em alguns setores da indústria, em que há uma grande escala, numa micro empresa dificilmente a conta fechará.

Na prática, uma pequena economia multiplicada por um volume muito grande, gera uma economia relevante. Porém, na micro empresa, uma pequena economia multiplicada por um pequeno volume resultará em… um número pequeno!

Não faça a economia burra

Existem duas coisas que fazem uma economia ser “burra”:

– Uma é economizar com o cafezinho, se a porcentagem dele nos gastos não vai realmente impactar a vida financeira da empresa.

– A segunda é economizar com coisas que são críticas para a empresa, por mais que seja algo caro. Não adianta nada economizar com o contador ou uma ferramenta de gestão, se você sabe que eles são essenciais para que sua empresa continue viva.

O importante é: de forma alguma sacrifique coisas que não vão ser tão relevantes para segurar o orçamento, mas que terão impacto negativo na empresa.

Equilíbrio é fundamental

Não economizar no café, não significa que é para tomar 47 cappuccinos duplos extra-grande todos os dias. Com certeza assim você estaria rumando para o apocalipse do seu orçamento.

Da mesma forma que deixar de tomar cafezinho funciona, morar em uma árvore funciona mais ainda, mas dificilmente você está disposto a fazer isso.

Trazendo para um contexto mais empresarial, economizar comprando um computador velho e gasto pode te economizar uns bons 400 reais, porém é bem possível que ele vá te dar muita dor de cabeça. Mas nem por isso você precisa comprar um importado de 15.000 reais.

O segredo é sempre o equilíbrio. Os gastos tem sim que ser levados em consideração, porém de forma inteligente. Veja o que é relevante no seu dia a dia e o que você consegue cortar sem te incomodar em nada e ainda assim ter algum impacto relevante no seu caixa.

Se formos economizar algo, vamos economizar tempo

Existe algo que é bem simples de economizar e que quase sempre vai te ajudar muito: tempo. E tempo é dinheiro!

Mais tempo te permite focar no que é essencial e que realmente vai te ajudar a ganhar dinheiro, então sempre foque em atividades e ferramentas que vão economizar seu tempo!

Por fim… vamos tomar um café?

Fonte: Saia do Lugar

5 dicas para fidelizar seu cliente

Com a crescente competitividade em todos os ramos do mundo dos negócios, não basta apenas atrair novos clientes, é necessário fidelizá-los! Investir em fidelização irá trazer muitos lucros para sua empresa, além de melhorar sua imagem comercial!

Estratégias de fidelização são um investimento que fará sua empresa se destacar no mercado, garantindo a continuidade de suas negociações, além de clientes satisfeitos e fiéis, que retornam, te recomendam pelos serviços prestados com excelência e movimentam seu caixa.

Mas como criar um bom programa de fidelização de clientes? Aqui vão algumas dicas que irão lhe ajudar nesse importante momento para sua empresa:

1. Conheça bem o seu cliente

O primeiro passo para  fidelidade a longo prazo é estar atento às características pessoais do seu cliente, seja em condições de pagamento ou desconto, por exemplo.

Ter conhecimento das preferências individuais de seus clientes possibilita saber o que eles precisam para ofertar de uma maneira que não poderão recusar. Crie um cadastro de seus clientes, cuide para que sejam registrados além de dados pessoais, todas as negociações realizadas, benefícios incorporados, formas de pagamento e entrega.

Lembre-se que é importante manter esses dados sempre atualizados. Com eles em mãos você poderá oferecer benefícios diferenciados e que superem as expectativas do seu cliente.

2. Tenha canais de comunicação eficazes

É extremamente importante que seu cliente tenha meios fáceis e acessíveis de entrar em contato com você. Mantenha em funcionamento todos os meios de comunicação possíveis e faça seu cliente conhecê-los.

Se for um site, é bom que tenha botões visíveis de contato. As redes sociais devem sempre ser acessadas e atualizadas, além do e-mail. Permita que seu cliente possa registrar sugestões ou reclamações, agradeça pelo contato e sempre busque oferecer o melhor atendimento. Bons canais de comunicação criam vínculos entre você e seu cliente.

Um diferencial reconhecido em empresas de sucesso é a qualidade da pós-negociação. É muito comum ver clientes que ficaram imensamente satisfeitos na hora de uma compra, mas que quando precisaram retornar a empresa para troca ou assistência técnica ficaram decepcionados.

Portanto, tenha diferencial e valorize a relação com o cliente.

3. Crie programas de ofertas

Tenha programas de ofertas para os clientes que queiram recebê-las. Se um cliente procura um produto indisponível em estoque, avise quando chegar! O mesmo vale para novidades dentro do que ele costuma comprar. Explore as redes sociais, é importante ter um conta no Twitter e no Facebook. Ofereça vantagens para seus seguidores.

Alguns clientes são formadores de opinião e geralmente têm redes bem constituídas e repletas de propensos novos clientes. Eles poderão se tornar importantes aliados. Mantenha no cadastro os melhores horários para seu cliente ser contatado. Utilize o histórico de compras e faça contato quando tiver um produto ou serviço que se adequem ao perfil do cliente. Isso faz muita diferença, pois ele passa a se sentir importante para você!

4. Honre as suas promessas

Antes de buscar superar as expectativas dos clientes, é extremamente importante que você cumpra o básico acordado por mais simples que seja. Entregar no prazo, entrar em contato quando combinado, garantir adequações ou trocas quando necessário são exemplos de atos simples e que atribuem muito valor à negociação.

Você deve ter em mente que um requisito crucial para a fidelização é o trabalho que deve ser feito para facilitar a vida, resolver o problema ou simplesmente remover os obstáculos para o cliente. O que os clientes buscam é conveniência, facilite as coisas para eles.

5. Destaque-se e busque diferenciais

Você deve buscar destaque no mercado oferecendo condições diferenciadas, já que a concorrência é grande e está sempre atenta. É importante atribuir valor aos seus produtos e serviços e mostrar que você oferece mais e melhor.

Tenha programas de vantagens para quem compra sempre, seja sincero, crie um ambiente agradável para que o cliente se sinta à vontade na sua empresa. Prestar consultoria é um grande diferencial, já que hoje em dia os clientes não estão interessados apenas em comprar, eles querem receber orientações sobre os seus produtos, a maneira de usá-los e conservá-los melhor.

Aproveitem essas dicas para fazer a diferença e fidelizar seus clientes!

Fonte: Jornal do Empreendedor

A rapidez aliada ao processo de vendas

Texto por: Helio Lima

Não é à toa que o mercado brasileiro de fast food, que movimentou R$ 55 bilhões em 2011 deve crescer a um ritmo de 56% até 2016, segundo a consultoria Euromonitor. Nesse cenário, as principais redes de franquias de alimentação no Brasil, hoje com 3,1 mil lojas, já têm planos de quase dobrar de tamanho até 2014, com a inauguração de mais 2,5 mil unidades. O caso mais impressionante é o da rede Subway, que tem aberto uma loja por dia. “O Brasil é o mercado onde a empresa mais cresce fora dos Estados Unidos”, diz Roberta Damasceno, gerente nacional do Subway. (Fonte: Estadão)

Quais desses dados podemos trazer de bom para o nosso negócio? A resposta é: a rapidez.

Eu, você e absolutamente todas as pessoas prezamos pela rapidez no atendimento. Você gosta de chegar em um restaurante e ser atendido rapidamente. Até quem não frequenta esses restaurantes, sob a prerrogativa de serem naturistas, vegetarianos ou afins, procuram redes de mercados com tudo muito fresco, acessível, natural e de novo, rápido. Quantas pessoas preferem pagar mais caro, a ter que esperar pelo serviço ou atendimento? Muitas!

Nós da HAS Representações temos recebido muitos elogios no rápido envio de cotações aos possíveis clientes que procuram saber mais sobre a Locus Business Center (que atua no mercado de locação de escritórios físicos e virtuais na Avenida Paulista), por exemplo.

Independente do setor de atuação de sua empresa, o seu possível cliente repara e percebe quanto tempo você demorou para enviar uma proposta comercial, quanto tempo você demorou para concluir uma tarefa, quanto tempo você demorou para retornar uma ligação ou simplesmente concluir uma solicitação. Tudo é levado em conta.

Os profissionais de criação, que antes trabalhavam à sua maneira e tempo, ganham ou perdem espaço à medida que são rápidos ou lentos nas entregas de seus projetos. Corretores de seguros perdem seus clientes pela demora no envio dos cálculos de seguro. Empresas de telefonia são diariamente multadas pela demora em seus atendimentos. Ninguém gosta de esperar! Essa é a mais importante questão que faz com que seu cliente continue ou troque você, sua empresa e seu atendimento.

A tirar o exemplo de nós mesmos, trocamos nossos serviços pessoais quase sempre baseados na rapidez ou demora com que somos atendidos. Aquela velha e cafona frase “Ei? Aqui não é pastel!!!”, pode estar atrapalhando e dificultando que você traga mais vendas e negócios à sua empresa.

Não temos dúvidas que o sucesso ou insucesso de uma venda, além de passar por diversas outras questões, também é aliada à maneira rápida ou lenta que levamos para concluir tarefas inerentes nesse processo.

Avalie como isso tem funcionado em sua equipe comercial e procure melhorar. Viva o Pastel!!!

5 dicas para ligações comerciais mais eficientes

Boa parte dos profissionais de vendas e empreendedores enfrentam grande dificuldade em falar diretamente com tomadores de decisão nas empresas de potenciais clientes.

Geralmente, as pessoas que atendem o telefone não estão preparadas para receber uma proposta comercial.

Separamos 5 dicas do Blog do Agendor para que as ligações comerciais sejam mais eficientes:

 

1. Use o LinkedIn para conhecer a empresa

Muitas empresas estão criando seus perfis no LinkedIn e incluindo seus funcionários. Faça uma busca rápida pelo nome da empresa, que rapidamente você conseguirá ver as pessoas com quem poderá falar. Há grande chance de encontrar os executivos, os donos das empresas, enfim, seus alvos.

 

2. Seja muito educado

Pior do que receber uma ligação que não tem relevância para você, quando se está no meio de uma atividade complicada, é receber uma ligação de uma pessoa mal educada. Se por acaso você ligou para o departamento errado, as pessoas que te atenderem podem se encontrar nessa situação.

Nesse caso, a melhor saída é ser bem educado e agradar quem te atendeu. A pessoa que te atendeu tem que pensar “nossa que pessoa interessante, vou ajudá-lo com o que ele precisa” e assim, poderá fazer um esforço a mais para que você consiga falar com quem precisava.

Mesmo que sua ligação caia com a telefonista, ser agradável poderá, em alguns casos, te garantir o telefone de contato direto com a pessoa que toma decisões. Se você não conseguir o telefone de contato direto, nem mesmo falar com quem precisava, na próxima vez que ligar ela lembrará de você e poderá fazer o esforço que faltava para te ajudar.

 

3. Persista

Uma das grandes virtudes de empreendedores é a persistência. Ser persistente pode ajudar em vários momentos, e ser empreendedor é um atributo muito valioso para os vendedores bem sucedidos.

O fato é que precisamos saber dosar essa persistência: temos que saber quando vale a pena, quando o esforço não será em vão.

Se você acredita que aquele contato é importante e não conseguiu o que queria na primeira, segunda ou terceira ligação, continue insistindo. Um erro que grande parte dos profissionais cometem é fazer uma ligação, enviar a proposta e esperar que o cliente retorne. A pessoa que recebeu a proposta, o e-mail, ou conversou com você, pode estar com milhares de coisas na cabeça para resolver e sua proposta provavelmente foi deixada no final da lista de prioridades.

O importante é lembrá-la de que você existe e tem interesse no negócio. Você precisa mostrar que eles são importantes para você. Um dos meios para ajudá-lo com isso é deixando lembretes, usando post-its, ou agendando tarefas em um calendário de sua preferência.

 

4. Garanta que a pessoa irá passar o recado

Se a pessoa que te atendeu não foi aquele que te interessava, o tomador de decisões, você precisa garantir que ela passe o recado de que você ligou (se esse for o seu interesse). E aí que os atributos “bem educado”, “simpático”, “interessante”, entram em cena. As pessoas se lembram de gente interessante e você precisa despertar esse interesse naqueles que te atenderam.

Na hora em que desligarem o telefone, se o seu contato foi bacana, interessante, persuasivo, elas se lembrarão com maior facilidade.

 

5. Use outros meios de comunicação

Às vezes, uma empresa não tem políticas tão rígidas sobre passar os dados para contato direto, seja com o dono, diretores ou gerentes. Então, aproveite a oportunidade da ligação e peça outros dados para contato com quem você quer falar. Mande e-mail, envie SMS, mensagem no LinkedIn, enfim… Seja lembrado!

A questão não é parecer chato, nem insistente, mas mostrar que você tem realmente interesse em fazer negócio com eles. Todo mundo recebe várias propostas de negócios mensalmente, então você precisa utilizar todas as ténicas possíveis para se destacar.

Vale mais a pena ser chamado de chato e conseguir a venda, do que um bonzinho sem resultados.

 

Matéria escrita por Gu Paulillo.

O marketing é a solução “ou parte dela”?

Quais são os mitos sobre marketing?

Respondido por Frederico Mafra, especialista em marketing

Nos últimos 10 ou 15 anos, o entendimento por parte dos empreendedores sobre o que é o marketing, seus benefícios e características, tem evoluído, permitindo que seu uso seja cada vez mais importante para o desenvolvimento das estratégias empresariais. Entretanto, alguns mitos sobre marketing ainda persistem e fazem com que esta área seja colocada como “mágica” e responsável por transformar um negócio ou um produto em algo de sucesso notável. Abaixo, veja três mitos sobre a área:

1. O marketing é capaz de convencer o consumidor a comprar

Uma das funções do marketing é trabalhar a comunicação do produto junto ao mercado-alvo, e seu objetivo é fazer com que o consumidor conheça, escolha e até compre o produto. Mas para que isso aconteça, é importante que a empresa tenha um bom produto; sem produto bom, não há marketing que consiga convencer o consumidor a adquiri-lo.

Portanto, a empresa deve saber identificar a necessidade do cliente e oferecer a solução certa para tal. Aí sim a comunicação ajudará a divulgar aquilo que o cliente já deseja.

2. O marketing é responsável por resolver problemas do produto

Em alguns contextos, a área de desenvolvimento de produtos é vinculada à área de marketing, mas na maioria não. Neste caso, todo o processo de inovação e de produção (incluindo todos os custos e a aquisição de insumos) não fica sob a responsabilidade do marketing. Quando a empresa precisa comunicar e vender este produto pode ter dificuldades que não são de responsabilidade exclusiva da área de marketing.

3. O marketing é responsável por resolver problemas da área comercial da empresa

Em primeiro lugar, a área comercial, responsável pela venda de um produto ou serviço, representa a ‘ponta do iceberg’ de todo processo de marketing. Muitas vezes, a equipe de vendas de uma empresa pode estar sendo eficiente na sua função, mas não eficaz nos resultados do seu trabalho. Entretanto, o problema pode não ser exclusivamente da área de vendas, mas sim de concepção de produto.

O marketing abrange todos os aspectos destacados acima e a solução passa por um trabalho sistêmico de planejamento de marketing alinhado com as estratégias empresariais e as outras áreas da organização.

Fonte: http://exame.abril.com.br/pme/dicas-de-especialista/noticias/3-mitos-sobre-marketing-que-devem-ser-esquecidos

HAS Representações

O que é um Lead?

Vocês sabem o que de fato é um lead? Na HAS Representações estamos a todo momento citando leads como clientes em potencial, novas prospecções e até mesmo uma venda fechada.

Entendam mais através do link:

http://www.midiatismo.com.br/o-marketing-digital/o-que-sao-leads-e-porque-se-fala-tanto-deles-no-marketing-digital

HAS Representações